Colunistas Ver todas as colunas
 
TURISMO
por M. R. Gomide
 

2396 acessos.

..................................................................................................................................................................
...e se o Brasil adotar o euro?

Esta introdução se faz em negrito, porque o Dicionário de Comunicação de Carlos Alberto Rabaça & Gustavo Barbosa – Editora ática – ensina: “Nariz de cera: forma de enunciar um artigo, reportagem ou notícia – preâmbulo -. Muitas vezes desnecessário, longo e vago”. Aqui, no entanto, aproveitável, porque se reduziu séculos bíblicos num só parágrafo esclarecedor.

Quando Deus disse a Noé, que ele repovoasse o mundo após o dilúvio, o profeta começou a fazê-lo a partir de onde a sua arca ancorou-se no Monte Ararat. Um de seus netos – Gômer –– foi o povoador do norte da Europa – celtas e nórdicos. Daí, atravessando o Canal da Mancha em Brest, na França, aportaram-se na Irlanda. Imigrantes fundaram depois, Nashville nos EUA com sua country music ouvida por Elvis Presley e retornada à Granbretanha, pelos Beatles.

Como se vê, a difusão da cultura é um ping-pong que nem sempre depende de fronteiras terrestres. A aculturação é que se afirma por meio dos grupos que a assimila. Posteriormente, Deus voltou a falar, desta vez, ao profeta Abraão : levanta-te daí com tua parentela e teus animais; sobe, que eu te indicarei uma terra onde mana leite e mel. Deus não disse que seria imprópria, a terra de onde provinha Abraão. Assim, Deus apontou um dos celeiros do mundo, no sentido dos povos se ajudarem  uns aos outros. Recentemente uma mulher sudanesa disse: aqui não se morre de fome e sim, de sede. O autor Werner Keller em seu livro “... e a Bíblia tinha razão”, confirma tudo isso.

O site www.portugaldigital.com.br volta a criticar nosso país, dizendo: “ o baixo rendimento da América Latina se deve ao pequeno crescimento do Brasil, da Argentina e da Venezuela”. Cita como fonte, a Cepal, Comissão Econômica para a América Latina e Caribe. As Américas são divididas em  três partes: do Norte, Central e do Sul. Cada qual possui seu órgão de defesa dos respectivos interesses sociais, econômicos e políticos. O órgão para a América do Sul, é a UNASUL, com sede em Quito, capital do Equador. São doze, os países membros, inclusive o Brasil. O estado ultramarino francês, Guiana Amazônica Francesa não faz parte da Unasul, mas possui fronteiras terrestres e fluviais com o Brasil. Já existe também a Ponte Internacional sobre o Rio Oiapoque, interligando nosso país e Guiana Francesa onde a moeda corrente é o euro. Ali trabalham centenas de brasileiros recebendo em euro. Por intermédio da França, via Guiana, o Brasil poderia adotar o euro. Por mais esforço que se faça numa quebra de braço desigual, nunca será viável para o Brasil, cambiar o real pelo euro.

Se o Brasil adotar o euro por intermédio da França - com a qual confrontamos - surgiria de imediato, inúmeras vantagens para o desenvolvimento de nosso país, em todos os setores; ídem para a União Européia, porquanto o Brasil é um dos celeiros do mundo, onde também mana leite e mel.  Os fatos são incontestáveis e límpidas, as evidências.

  
publicado em 16/12/2014
M.R.Gomide – jornalista
mrgomide@yahoo.com.br
Comentários:

Severina Sena Cardoso - Buritizal - Macapá - 26/12/2014
Será de grande importância para todo o Brasil, aqui com a construção da ponte aumentou o turismo, mas precisamos de uma moeda forte, e assim o Brasil terá um grande progresso. Vá em frente meu amigo M.R.Gomide, não desista nunca, quem sabe breve nossa terra será reconhecida por todos, um abraço e até breve.
  
    Comente!
 
 topo
© direitos reservados desde 2008 -  benficanet.com - contato@benficanet.com